Home » Tabletop » TOP 10 Monstros mais perigosos do D&D

TOP 10 Monstros mais perigosos do D&D

Por: Bernardo Stamato

23 de outubro de 2018

Muitos rpgistas definem o Dungeons & Dragons como um jogo de rolar dados e matar monstros, o que não está muito longe da realidade. D&D oferece muito mais do que isso, mas seus primórdios são o “dungeon crawler” e as batalhas épicas sempre serão essenciais pro jogo.

Pensando nisso, separei aqui um TOP 10 monstros mais perigosos do Dungeons & Dragons. Só vale monstros que já estiveram nos livros básicos e não vale entidades, como Demogorgon ou Mephistopheles, apesar de que algumas serão citadas como exemplos.

10. MARUT

Marut são construtos inteligentes criados por Primus, o ser mais poderoso a serviço da ordem. Eles foram criados para arbitrar e impor contratos entre seres planares como deuses e demônios. Ao fazer um contrato dessa forma, o marut é obrigado a cumprir os termos e punir quem quebrar o contrato. Por lidar com entidades cósmicas, um marut é um ser imensamente poderoso. Ele pode viajar para qualquer lugar nos muitos planos à vontade e pode forçar um ser a retornar à arbitragem, se necessário.

Em edições revisadas, Marut é um Inevitável, criaturas que garantem que as leis do multiverso funcionem. Nesse caso, Marut é o Inevitável da Morte, que persegue criaturas que abusaram do poder de voltar dos mortos ou de trazer os mortos de volta – Goku teria problemas constantes com eles.

9. KRAKEN

Em algumas edições, krakens são apenas criaturas marinhas pouco ameaçadoras. Em outras, eles são seres imensamente antigos, adormecidos nas profundezas, aguardando um chamado ou sinal que os desperte. Existindo literalmente desde a aurora do tempo, krakens são capazes de controlar o clima e as correntes oceânicas ao seu redor. Ainda mais aterrorizante, eles não estão presos ao oceano, capazes de respirar no ar tão facilmente quanto na água. O simples ato de despertar um kraken pode levar cidades à ruína.

Slarkrethel é um kraken particularmente perigoso, que já escravizou todo um arquipélago. Ainda mais inteligente do que os outros krakens, Slarkrethel é uma ameaça para todos os reinos litorâneos com seus poderes mágicos e sua vasta rede de espiões e cultistas.

8. GIGANTE

Uma curiosidade sobre Dungeons & Dragons: o sobrenome de um dos criadores, Gary Gygax, significa literalmente “gigante”. Desde garoto, ele adorava lendas e contos com gigantes, o que fez com que essa raça fosse especialmente influente ao longo da história do D&D, sendo subdividida em vários tipos e desafiando os jogadores em diversas aventuras. Não por acaso a primeira aventura oficial de D&D foi a trilogia Against the Giants – “Contra os Gigantes”. Recentemente, a campanha Storm King’s Thunder – “Trovão do Rei da Tempestade” – abalou o norte de Forgotten Realms, lembrando a todos os aventureiros o potencial dos gigantes.

Entre os clássicos, os gigantes das tempestades são os mais poderosos, escolhidos pelo deus da raça como os governantes, responsáveis por manter a ordem entre a espécie. Contudo um dos gigantes mais icônicos do Dungeons & Dragons é Snurre, rei dos gigantes de fogo, que veste uma pele de dragão branco, anulando sua fraqueza contra gelo – isso mesmo, um gigante de fogo ainda mais forte do que o comum e ainda por cima sem ponto fraco.

7. DEMILICH

Um lich é um dos piores pesadelos dos aventureiros, pois se trata de um mago morto-vivo que só é eliminado de vez, se você destruir sua filactéria – estilo Voldermort, mas apenas uma. Pior ainda que um lich, é um demilich.

O demilich divide sua filactéria em oito joias espalhadas por um único membro, geralmente o crânio, abrindo mão do restante do corpo e se tornando ainda mais poderoso. Além de imunidade à magia, um demilich tem vasto conhecimento arcano e pode chegar a milênios de idade. O demilich mais famoso é Acererak, apresentado na aventura Tomb of Horrors – “Tumba dos Horrores” -, atualmente considerado uma ameaça por todo o multiverso.

6. BALOR E LORDE DAS PROFUNDEZAS

Abissais são as criaturas mais hostis do multiverso e elas são divididas em duas categorias: diabos – ordeiros – e demônios – caóticos. Há quem diga que eles só não venceram os celestiais ainda porque estão ocupados com suas próprias guerras entre si. Entre todos os abissais, Lordes das Profundezas são os generais dos diabos e Balors são os generais dos demônios, ambos imensamente poderosos, que reconhecem a autoridade apenas de Lordes Demônios, Duques Abissais ou deuses.

Geralmente o Balor é mais poderoso, sendo inspirado diretamente no Balrog d’O Senhor dos Anéis, porém os dois já estiveram empatados em algumas edições. Individualmente, eles estão entre as criaturas mais poderosas dos livros básicos, mas não podemos esquecer que eles são extremamente inteligentes, que comandam legiões de abissais e que nunca atuam de forma aleatória. Enfrentar um deles é algo digno de fim de campanha.

5. TARRASQUE

O Tarrasque é uma das criaturas mais temidas no Plano Material. Ele é praticamente um animal gigante, indestrutível e faminto. Não tem poderes mágicos, mas é absurdamente resistente a magia e a danos físicos, regenera rápido e ressuscita a não ser que seja morto de uma forma bem específica. O Tarrasque é o único ser nessa lista puramente neutro: ele é uma besta épica que desperta de tempos em tempos e devora o que encontrar no caminho.

Acredita-se que existe apenas um Tarrasque no mundo, mas aparentemente existe um Tarrasque em cada Plano Material, o que faz com que ele seja considerado uma espécie em vez de uma entidade. Apesar da sua origem ser desconhecida, as lendas incluem um experimento de um antigo mago insano ou até uma arma criada pelos próprios deuses.

4. SOLAR

Entre tantos monstros que ameaçam os aventureiros, finalmente uma criatura do bem. Inabalavelmente altruísta e imensamente poderoso, um Solar é um general entre os celestiais, tal qual Lordes das Profundezas e Balors são generais dos abissais. Supostamente, existem apenas 24 solares, cada um a serviço de um Patriarca Celestial ou um deus.

Um solar pode ser um poderoso aliado para heróis ou o pior pesadelo dos vilões, mas existem alguns poucos solares caídos, igualmente poderosos e absurdamente perversos.

3. TITÃ

Titãs já foram apresentados de diversas formas no D&D. Podem ser extraplanares tão antigos quanto o primórdio do multiverso, gigantes especialmente poderosos ou até mesmo filhos dos deuses. Eles costumam ser mais ou menos tão poderosos quanto um solar, mas geralmente não estão a serviço de ninguém, além deles mesmos.

Na 5ª edição, os empíreos fazem vezes de titãs nos livros básicos, habitantes dos Planos Superiores tão poderosos que até mesmo suas mudanças emocionais podem afetar o ambiente. O titã mais ameaçador que eu já li sobre era o hecatônquiro, uma abominação com cem braços – capaz de desferir cem golpes em uma única rodada. Um hecatônquiro é capaz de eliminar até os maiores heróis épicos e dizimar mundos.

2. DRAGÃO ANCIÃO

O que seria de Dungeons & Dragons sem dragões? Bem, só dungeons, eu acho. Os dragões são um dos ícones do D&D. Essas criaturas são incrivelmente longevas, ficando cada vez mais poderosas com a idade, até encontrar o ápice quando se tornam anciões.

Os dragões mais poderosos são os vermelhos, prateados e dourados, mas todos os dragões anciões são incrivelmente perigosos. Muito inteligentes, cheios de poderes mágicos e com séculos de experiência, um dragão ancião é de longe a mais poderosa criatura “genérica” em D&D, superando até mesmo a maioria dos Lordes Demônios e Duques Infernais.

Um dos dragões mais famosos do Dungeons & Dragons é Ashardalon. Ele já quase se tornou um deus, sendo impedido por um ciclo druídico. Após sua derrota, ele fugiu para os planos inferiores e sobreviveu graças a um pacto com um balor – pois é, o que pode ser pior do que um dragão ancião? Um dragão ancião e um balor juntos!

1. O MESTRE

Todas essas criaturas não são nada sem um Dungeon Master por trás delas. Um Mestre é de longe a criatura mais perigosa em Dungeons & Dragons. Afinal, é ele que joga esses monstros terríveis em cima dos aventureiros.

Um mestre tem o poder de distorcer a realidade simplesmente pra manter o enredo avançando, ou apenas pra se adaptar às ações dos jogadores. Ele pode acabar com heróis ou salvá-los da desgraça apenas usando uma palavra. Existem muitos deuses em Dungeons & Dragons, mas o mestre é quem rege todos eles.

Agora responda: qual é o seu monstro favorito do Dungeons & Dragons? Solta o verbo nos comentários!

Author: Bernardo Stamato

Vencedor do Concurso Cultural "Eu, Criatura" da Devir Livraria, formado em Letras, pós-graduado em Produção Textual, tradutor e escritor (https://www.wattpad.com/user/BernardoStamato). Quando dá tempo para respirar, lê e joga PS4 também.

[mashshare]