Home » Literatura » Sobre Escrita: O que Stephen King tem a ensinar?

Sobre Escrita: O que Stephen King tem a ensinar?

Por: Bernardo Stamato

15 de outubro de 2018

Um dos cem melhores livros de não ficção de todos os tempos de acordo com a Time Magazine e vencedor da categoria Melhor Não Ficção dos prêmios LOCUS e BRAM STOKER, Sobre a escrita — A arte em memórias é uma obra incrível de um dos mais bem-sucedidos autores de todos os tempos, uma legítima aula de narratologia.

Capa de Sobre Escrita, de Stephen King

Stephen King é o mais notável escritor contemporâneo no gênero de horror. Suas obras já venderam mais de 500 milhões de cópias em mais de 40 países, muitas adaptadas para cinema e televisão, como por exemplo Conta Comigo, O Iluminado, Um Sonho de Liberdade e À Espera de um Milagre. Além de seus bestsellers, King já escreveu roteiros para séries, como o episódio Feitiço da quinta temporada de Arquivo X.

A primeira parte de Sobre Escrita se chama Currículo, onde King basicamente conta sua história. Desde criança, quando sua mãe penava para pagar as contas e ele e o irmão protagonizavam as desventuras mais inusitadas – como um apagão que se alastrou por quase o bairro todo -, até o começo de carreira e seus muitos obstáculos, e também o sucesso, o alcoolismo, as drogas, o acidente que quase tirou sua vida e os tempos atuais. Stephen King tem uma história conturbada, altos e baixos tão extremos quanto uma montanha russa, e sabe narrá-la com sua leveza e perspicácia ímpar.

Jovem Stephen King

A segunda parte é a Caixa de Ferramentas, onde King fala sobre os conceitos básicos da escrita e sobre o que fazer e o que não fazer. O autor fala de gramática, vocabulário, estilo e dos recursos linguísticos recomendáveis ou não. É uma parte um tanto técnica, mas King sabe ser didático e sucinto. Ele mesmo fala que não acredita em extensos manuais de escrita, que não existem regras universais, apenas conceitos e dicas que ajudam – e muito – os navegantes, então nada mais justo que seu livro dê mais atenção aos elementos práticos do que a teorias e regras engessadas.

A terceira parte é literalmente Sobre Escrita, onde King disserta sobre a necessidade de ler, o ofício de escrever, dá vários exemplos de boas e más escritas e fala também do seu ponto de vista pessoal sobre ser escritor. Os exemplos vão desde clássicos que influenciaram a carreira do autor, até colegas contemporâneos e seus próprios livros, sempre apontando o que e por que cada trecho é um bom ou mau exemplo. As dicas aqui são mais abstratas, King fala de simbologia, sobre a crítica especializada e sobre como é a carreira de escritor na prática, desmistificando o ofício e dando exemplos práticos dos obstáculos e oportunidades que ele e seus colegas encontram.

Louco Stephen King

Por fim, Sobre Escrita oferece um postcriptum sobre a história de como o próprio livro foi escrito – e como ele quase morreu no meio do caminho -, um exemplo de um rascunho antes e depois da revisão e uma bibliografia do autor, servindo como uma última curiosidade sobre o “making of”, um exemplo prático do seu processo de escrita e uma lista de livros que o próprio King recomenda. O postcriptum funciona como aqueles últimos salgados e doces que você rouba antes de ir embora da festa – você já se divertiu e está satisfeito, mas sempre tem algo a mais para degustar.

Eu já li alguns livros sobre narratologia e posso dizer que Sobre Escrita é um dos melhores. Você pode não adotar algumas técnicas, pode preferir trabalhar em um ritmo ou padrão diferente, ainda assim é muito útil conhecer a opinião e a experiência de um dos maiores bestsellers de todos os tempos. Até para quem não quer escrever, o livro traz detalhes da vida de King e também um olhar técnico sobre por que gostamos ou não de um romance.

Se você é simplesmente fã de Stephen King, sem interesse em escrever, o livro serve como uma biografia, como uma série de conceitos e opiniões do autor e até como bastidores de várias de suas obras. King fala sobre como surgiu a ideia de alguns livros, sobre como criou alguns personagens e como foi escrever alguns de seus romances. Qualquer fã de King fica deliciado nessas páginas.

Sobre Escrita – A Arte em Memórias

Se você quer melhorar sua escrita, mesmo que não seja fã de Stephen King, ele tem muito a ensinar nesse livro. Cada dica, ferramenta e esclarecimento é inestimável. Ler esse livro dá vontade de escrever ao mesmo tempo que oferece insights preciosos sobre o ofício – literalmente unindo o útil ao agradável.

Sobre Escrita — A arte em memórias é uma das leituras mais prazerosas e enriquecedoras que já experimentei. Stephen King é honesto, sucinto e preciso em suas dicas e divertido e perspicaz em suas histórias pessoais e opiniões sobre trabalhos alheios. Óbvio que um bestseller tem muito a ensinar a todos nós, mas Stephen King é mais do que um bestseller. Stephen King é um professor brilhante, uma pessoa inusitada e um gênio singular.

 

Author: Bernardo Stamato

Vencedor do Concurso Cultural "Eu, Criatura" da Devir Livraria, formado em Letras, pós-graduado em Produção Textual, tradutor e escritor (https://www.wattpad.com/user/BernardoStamato). Quando dá tempo para respirar, lê e joga PS4 também.

[mashshare]