Home » Literatura » O Caminho do Louco – Thriller Conspiratório e Subversivo com toques de Fantasia Urbana

O Caminho do Louco – Thriller Conspiratório e Subversivo com toques de Fantasia Urbana

Por: Bernardo Stamato

28 de fevereiro de 2019

O Caminho do Louco acompanha a jornada de André Moire, um brasileiro que deixou tudo para trás para se unir a um grupo secreto internacional que representa os arcanos do Tarot. Desejando elevar a consciência da humanidade e transformar o planeta, eles usam ciência, arte, técnicas hacker, magia e até parkour e videogame para enfrentar as forças da conformidade. Conheça o Louco, o Mago, o Carro, a Sacerdotisa, a Imperatriz, o Sol e vários outros arcanos neste thriller conspiratório, subversivo e sobrenatural. Com uma trama misteriosa que percorre locais como Rio de Janeiro, Paris, México, Inglaterra e Amazônia, Guerras do Tarot promete fazer o leitor repensar no que acredita. Trilhe “o Caminho do Louco”.

O carioca Alex Mandarino foi alfabetizado por sua mãe e por quadrinhos da Marvel pouco antes de fazer três anos de idade. Formado em Jornalismo, trabalhou em vários órgãos do jornalismo cultural e de informática até largar as redações para escrever ficção, trabalhar como tradutor e fazer música eletrônica em 2005. Desde então, publicou contos de fantasia — Hiriburu, O Círculo de Ossos —, mistério — A Aventura do Penhasco dos Suicidas — e ficção científica — O Rabo da Serpente, Fast-Forward/Rewind. Em 2016, Mandarino lançou seu romance de estreia, O Caminho do Louco, primeiro livro da trilogia Guerras do Tarot.

Alex Mandarino, autor de O Caminho do Louco

O Caminho do Louco é, em suma, uma mistura de fantasia urbana com distopia conspiratória, que se passa nosso planeta Terra, mas através dos olhos de organizações secretas e megacorporações imperialistas. Cada arcano é uma pessoa extraordinariamente especializada em uma função, que une suas habilidades com as outras cartas para alcançar feitos surreais, como se infiltrar e assaltar uma base de segurança máxima ou até mesmo desafiar todo o sistema.

Pode ser um pouco difícil para o leitor se acostumar com a quantidade e a diversidade dos personagens, mas esse é um dos elementos que torna este livro tão singular. Os arcanos têm nacionalidades diferentes, cada um com nome, aparência e comportamento tão distintos quanto coerentes com os arcanos que representam. André Moire, o protagonista, por exemplo, teria tudo para ser um caro comum, não fosse pela sua inconformidade que o levou a chutar o balde, buscar viver uma vida de verdade e entrar numa organização secreta num estilo meio Neo na Matrix ou o personagem-narrador de Clube da Luta, mas com o Tarot.

A narrativa d’O Caminho do Louco funciona como um grande quebra-cabeça abstrato. Alex Mandarino narra cada capítulo de forma que o leitor olha de perto uma das peças do quebra-cabeça e questiona como ela vai se encaixar no panorama. O próximo capítulo — ou a próxima peça — pode não se encaixar com o anterior, mas aos poucos e num ritmo volátil vai montando uma narrativa instigante — ou devo dizer a trilha?


André Moire encontrará a Sacerdotisa, o Mago e a Imperatriz em O Caminho do Louco

O romance não segue fórmulas de bolo. Mesmo que existam tantos protagonistas em jornadas pelo conhecimento e pela verdade, o Caminho do Louco faz jus ao título e traz elementos singulares em cada aspecto, cada personagem, cada cena, cada revelação na trama. Com certeza é o livro mais “fora da caixa” que eu já li.

É difícil definir O Caminho do Louco. Thriller conspiratório? Fantasia urbana? Viagem de LSD? Com certeza tem algumas doses de cada um desses elementos — e vários outros — ao longo do romance. O Caminho do Louco é a indicação ideal para quem está farto de mesmices e para quem quer desafiar a conformidade.

O Caminho do Louco

Autor: Bernardo Stamato

Vencedor do Concurso Cultural "Eu, Criatura" da Devir Livraria, formado em Letras, pós-graduado em Produção Textual, tradutor e escritor (https://www.wattpad.com/user/BernardoStamato). Quando dá tempo para respirar, lê e joga PS4 também.

[mashshare]