Home » Cinema » Adaptações de livros para o cinema: é tudo sobre fidelidade?

Adaptações de livros para o cinema: é tudo sobre fidelidade?

Por: Gabriela Coiradas

15 de fevereiro de 2018

Há quem ame, há quem odeie. As adaptações de livros para a tela grande são uma constante na nossa vida de consumidores de entretenimento. Até mesmo as séries de TV já contam com esse tipo de produção com grande sucesso.

A criação de um roteiro adaptado leva em consideração diversos aspectos para além da simples “fidelidade” ao livro que o originou. E é justamente disso que falaremos hoje.

Tipo de mídia

Um dos pontos cruciais considerados para adaptar uma obra literária é o tipo de mídia em que a produção será veiculada. Um filme é diferente de uma série, que, por sua vez, é diferente de uma websérie. O ritmo de cada produção é muito importante, pois o longa não tem interrupções, nem demanda ganchos para um próximo episódio. É bastante comum que as séries de TV sejam adaptadas também de séries de livros, para que haja material suficiente para diversas temporadas.

O produto em si

Entretenimento é um produto e, como tal, visa lucro. Na elaboração de um roteiro, é preciso conceber o produto que se deseja vender. Às vezes, apenas uma obra literária é necessária para gerar mais de um produto cinematográfico, por exemplo, em O Hobbit. Às vezes, pode não ser a melhor escolha, mas é uma maneira de esgotar as possibilidades lucrativas, afinal, 3 bilheterias podem ser melhores que apenas uma, ainda mais quando se trata de fãs leais.

Também temos o caso do produto televisivo ultrapassar a produção literária. O sucesso de Game of Thrones fez com que as temporadas precisassem ser produzidas anualmente, e sabemos que a escrita de Martin é lenta, então o roteiro que se passa após os eventos do quinto livro é baseado no que ele contou para Benioff e Weiss sobre os eventos finais de sua história. Ou seja, pode ser que na TV a história siga um rumo diferente.

A tal da fidelidade

Aproveitando que falamos sobre rumos diferentes na história, vamos falar sobre a tal fidelidade, tão cobrada pelos fãs dos livros quando veem as páginas se tornarem frames. Nem sempre o que o autor escreveu é visualmente viável e também há uma questão bastante importante: o público-alvo. Nem sempre os apreciadores dos filmes são os leitores das obras e isso, sem dúvida, precisa ser considerado.

Quanto mais complexa a trama, mais difícil ser absolutamente fiel. Uma grande quantidade de subplots, tramas individuais etc., geram um conteúdo visual bastante extenso e nem sempre isso é atrativo. Então, para amarrar todos os pedaços que eventualmente são cortados, é preciso criar novos rumos, novas possibilidades. Isso pode não ficar tão interessante como o livro? Pode. Mas a fidelidade quase absoluta, como em A culpa é das estrelas, garante a qualidade de uma adaptação de livros? Não.

E muitas vezes acontece de um roteiro ser apenas baseado no livro ou no universo criado pelo autor, como é o caso da websérie A Todo Vapor, construída no universo steampunk de Enéias Tavares, mas que não é uma adaptação de livros de forma direta.

O livro é sempre melhor?

Essa pergunta é quase uma pegadinha. Então, eu vou deixar a minha visão, depois de alguns anos refletindo sobre o assunto e tendo sido até mesmo “xiita” e torcendo o nariz para adaptações de livros.

Como qualquer tipo de produção, existem adaptações de livros boas e ruins. E o que faz algo ser bom ou ruim definitivamente não é o fato de ser um roteiro adaptado, mas sim a maneira como foi conduzida a dita adaptação. Dizer que o livro é “sempre melhor” é um preciosismo de leitor, pois são experiências diferentes. A sua experiência imaginando como seriam os personagens pode ser boa exatamente como o espectador vibrando na cadeira do cinema, entende?

O leitor “sentir falta” de algumas coisas nas adaptações de livros é natural e isso não desmerece o roteirista, temos excelentes exemplos como Harry Potter, O Senhor dos Anéis, O Silêncio dos Inocentes, e várias séries como Pretty Little Liars e Sherlock.

Você também é um leitor exigente quando assiste a um filme com roteiro adaptado? O que você valoriza na tela? Conta pra mim nos comentários!

[mashshare]